Quando estive no Egito em 2005 não pude realizar um dos passeios mais marcantes de todos. Conhecer Abu Simbel. Foi um sonho realizado!! É inexplicável a sensação de conhecer um local que habitava meus sonhos!! Foi muito emocionante chegar lá. Acordamos muito cedo para irmos. Foram 600 quilômetros de estrada num microônibus muito confortável, o que me deixou muito animada apesar do sono.

Abu Simbel não tem comparação com nenhum outro templo, não desmerecendo a beleza dos outros, mas os templos de Ramsés e Nefertari em Abu Simbel são transcendentais.

Quando entramos no maior (que é o de Ramsés II, o mais imponente, o mais belo e estonteante), dedicado aos deuses Re-Harakhty, Amon e Ptah, ficamos de queixo caído. As estátuas gigantes de Ramsés II no hall de entrada são perfeitas. Quando paramos a frente delas, podemos ver a perfeição dos traços do rosto, dos detalhes das mãos, pés e vestuários, tudo esculpido primorosamente.

Construído pelo mais brilhante dos faraós é o mais famoso monumento egípcio depois das pirâmides e da esfinge. Localizado na fronteira do Egito, tinha como propósito afugentar qualquer um que se aproximasse ao sul. Mesmo após 3000 mil anos, ainda inspira medo pela sua grandiosidade.

Ao norte do templo de Ramsés II encontramos um templo menor, tão belo quanto o primeiro. O templo dedicado a Hathor, que ele mandou construir para sua amada Nefertari. Também com estátuas de grande porte, sendo 4 delas de Ramsés II e duas de suas rainhas.

Tudo isto já faz de Abu Simbel uma paisagem única. Mas Abu Simbel não é só isso. É um marco da inventividade humana e da preservação da cultura egípcia. Em 1960 quando os templos estavam prestes a ser inundados pela construção da grande barragem, um consórcio internacional de 51 países foi formado para salvar os templos. Usando-se da mais alta tecnologia disponível na época, os templos foram literalmente desmontados bloco a bloco para serem reconstruídos a 190 metros acima do nível do mar, em um domo de concreto incrustado na montanha, especialmente projetado para abrigar os templos. Na época foram gastos ao todo 36 milhões de dólares no projeto e as fotos das grandes estatuas sendo desmontadas bloco a bloco são realmente impressionantes!

< Página anterior - Próxima página >

Voltar ao índice